Covid-19 | Transmissibilidade com possível tendência crescente





A Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) divulgam o relatório n.º 35 de monitorização da situação epidemiológica da COVID-19.


No período em análise, observou-se uma manutenção da estabilização dos valores de incidência. No entanto, o aumento observado do número de internamentos por infeção por SARS-CoV-2 e o aumento da prevalência de sublinhagens de interesse com potencial impacto epidemiológico sugerem que a incidência real apresenta ainda uma tendência crescente, padrão semelhante ao observado anteriormente em alguns países europeus.


A linhagem BA.5 da variante Omicron continuou a ser dominante.


Observou-se um aumento do número de internamentos em enfermaria nos grupos etários

acima dos 20 anos, e nos cuidados intensivos acima dos 80 anos, ainda que abaixo do limiar

crítico definido e do valor máximo da última fase epidémica.


Apesar deste aumento nos internamentos, mantém-se o reduzido impacte da COVID-19 nos

serviços de saúde e na mortalidade geral, traduzido numa mortalidade geral de acordo com o esperado para a época do ano. Observou-se um ligeiro aumento da mortalidade específica por COVID-19, ainda assim com uma tendência estável e correspondente a um valor cinco vezes inferior ao valor máximo observado na última fase epidémica.